boss

Virei líder e agora?

Até ontem, você era um funcionário como tantos outros. Hoje, você virou líder… e agora? Você foi realmente preparado para isso?

Muitas pessoas dizem a liderança é nata, você nasceu para isso e em algum momento você ocupará esse cargo ou função, mas será que realmente é assim?

Nas minhas andanças pelo mundo corporativo, o que mais vejo são pessoas que são excelentes funcionários, proativos, engajados, trazem resultados, tecnicamente são extremamente competentes e que por essas qualidades foram promovidos para líderes, porém muitos se sentem totalmente despreparados, pois de uma hora para a outra deixam de ser “operacionais” e precisam aprender a lidar com pessoas, a escalar o resultado por meio delas, a delegar, a tomar decisões, criar novas oportunidades de negócios e assim vai…

Aprender a liderar não é uma fórmula mágica que você aprenderá na escola e nos cursos de liderança, muitos dos conhecimentos transmitidos são apenas teoria como se as pessoas fossem previsíveis (o que sabemos que não são).

As informações transmitidas nos ajudam em várias questões, mas na verdade, aprendemos a liderar no dia a dia, batendo a cabeça, entrando em conflitos (e nem entendemos como fomos parar ali), tendo pressão tanto dos nossos gestores quanto dos nossos funcionários, tomando decisões e vendo os resultados acontecerem (e nem sempre são os esperados).

Ao se tornar líder, quantas pessoas se sentem inseguras quanto às suas decisões, pois têm medo de que elas sejam inadequadas ou não aceitas pela equipe. É um momento bastante complicado, pois precisamos aprender rapidamente sobre muitas variáveis. A questão técnica é simples de ser resolvida, mas lidar com pessoas não. Cada uma tem seu jeito, sua personalidade, sua forma de lidar com problemas, entre outros.

Por isso, quando as pessoas me perguntam como ser um bom líder, eu digo que não tem uma fórmula pronta, mas uma coisa eu sei… você precisa aprender a ser um bom ouvinte, se mostrar aberto a aprender com o outro, ter humildade de entender que você não sabe tudo e que precisa muito da sua equipe.

O que falo são sobre as experiências que tive ao longo da minha vida profissional e que me ajudaram a formar equipes de alta performance. E como eu sei que são de alta performance? Pelos resultados que entregamos.

Quando somos alçados à essa função de líder, algumas questões são fundamentais:

  1. Ser líder não implica que você é melhor do que as pessoas da sua equipe, que sabe mais. O estabelecimento da confiança é imprescindível nesse momento, é necessário deixar claro que todos fazem parte da equipe com suas responsabilidades e papéis específicos e que os resultados são de todos, por isso o compartilhamento de informações e conhecimento com a equipe é necessário para que você possa tomar decisões mais efetivas. Entender o impacto que as decisões têm sobre a equipe e outas pessoas, faz com que ações preventivas possam ser tomadas. Chamar a equipe para participar das decisões é de extrema valia!
  2. Deixe claro quais são seus valores para que a equipe entenda os limites que permearão suas decisões e ações. A transparência de valores deixa claro quem você é para sua equipe, pois não é só você que precisa aprender a lidar com ela, mas ela também precisa aprender a lidar com você.
  3. Conheça sua equipe para poder ajudá-la em seu desenvolvimento e em seu trabalho diário, ela espera isso de você a todo momento.
  4. Os objetivos devem ser passados de forma clara para a equipe, pois é a partir daí que se desenrola todo o plano de execução. Se a equipe não entender o que se deseja atingir e o motivo disso, provavelmente, entrará em um processo de “fazer por fazer” e isso não gerará o melhor resultado, pois não haverá engajamento.
  5. Faça com que a equipe tenha foco em soluções e isso gerará mais inovação, pois surgirão novas alternativas para uma decisão. Ideias diferentes podem gerar um outro patamar de resultado.
  6. Seja o exemplo sempre! Não adianta falar de planejamento se você não se planeja… não adianta falar de transparência se você esconde informações. Além disso, manter um clima harmonioso, de alegria faz com que as pessoas trabalhem felizes e dispostas a criar sempre mais.

Cuidados:

  1. Não faça reuniões para compartilhar as decisões apenas para que você não leve a culpa se o resultado for negativo. Isso não é atitude de líder e sim de pessoas mal preparadas e inseguras.
  2. Não tente contentar todo mundo porque isso pode te levar a paralisia. Isso é impossível! O que acontecerá que algumas pessoas poderão não concordar, mas poderão conviver com isso sem problema nenhum.
  3. Não tome decisões sem pensar no impacto sobre as pessoas, pois são elas que poderão te ajudar a implantar sua ideia com mais “suavidade”.
  4. Não fique preso nos problemas, foco sempre em soluções que você muitas vezes sozinho não consegue enxergá-las, por isso sua equipe é fundamental!
  5. Não procrastine suas decisões, faça o que deve ser feito!

Atenção:

Você não é perfeito! Por isso não tenha medo de errar e não se culpe por suas decisões. Afinal, só não erra quem não faz.

E como líder, tenha certeza de que você cometerá muitos erros e talvez você só tenha chegado a essa posição por ter conseguido tomar inúmeras decisões, chegando a uma melhor solução e resultado efetivo.