gênio

Você sabe o que você quer (de verdade)?

Nesse artigo, vou falar sobre um filme que retrata muitas pessoas que passam e passaram pela minha vida e que pode trazer reflexões poderosas: “Gênio Indomável”.

Will é um rapaz de 20 anos que passou por reformatórios, famílias que o adotaram, mas onde sofria agressões. Assim, tornou-se uma pessoa sem vínculos, com exceção de três amigos que sempre o acompanham nas saídas e brigas.

Porém, Will é um gênio, sem ir à uma universidade, consegue expor sobre economia, história e principalmente, resolver teoremas matemáticos complexos.

Por causa de uma briga, Will vai para a cadeia, mas um professor que descobre seu talento resolve ajudá-lo, mas Will terá que cumprir duas tarefas: estudar matemática e frequentar um terapeuta. Ele concorda em estudar, mas utilizando sua inteligência, manipula e sabota vários terapeutas que desistem de trabalhar com ele.

Até que seu professor contata um ex-colega de universidade que concorda em conhecer Will.

Começa aí uma série de encontros onde em vários momentos confunde-se a figura do terapeuta/ cliente. Suas discussões e leituras pessoais faz com que eles se vejam como em um espelho. Apesar de suas diferenças, percebem que as semelhanças são maiores.

Will tem seus medos, principalmente, do abandono. Sean se sente abandonado pela morte de sua esposa. Em um momento, Will começa a discorrer sobre alguns assuntos e Sean pergunta: “O que você quer?”.

Will continua a discursar e Sean diz a ele que é um rapaz inteligente que pode falar sobre vários assuntos, mas não consegue responder a uma pergunta tão simples. Sean, na realidade, também se vê nesse caos.

Após esta sessão, ambos refletem e tomam suas decisões a fim de deixarem o passado para trás, rumo a um futuro que desejam (re)construir.

A pergunta “O que você quer?” parece ser a mais simples que existe, mas lidando com pessoas nesses anos de trabalho em treinamento, vejo que grande parte dá uma resposta automática, pensando no que os outros gostariam de ouvir.

No momento em que respondemos claramente esta pergunta, conseguimos fazer nosso planejamento e executar as ações necessárias para alcançar nossos desejos. Porém, se não conseguimos respondê-la com clareza, andamos em círculos, culpando pessoas e situações, sentindo frustrações, causando uma desmotivação.

Quantas pessoas também possuem um “Gênio Indomável”? São talentosas, mas o medo e a falta de autoconfiança faz com que não consigam se relacionar com outras pessoas, não se mobilizem para seus projetos, enfim, conseguem se autossabotar. As pessoas gostam de se sentirem vítimas para serem confortadas, afinal, vencedores, muitas vezes, são desprezados.

Que tal tirar o dia para pensar e estabelecer:  O que REALMENTE você quer?


blog

Coisas que a vida me ensinou em 40 anos – Silvana Cervantes

Encontrei esse texto nas minhas lembranças e gostaria de compartilhar porque trata muito dos resultados de nossas decisões. Eu já passei da barreira dos 40 e percebo que a maturidade pode nos trazer mais liberdade para sermos mais nós mesmos.

Amor não se implora, não se pede
não se espera…
Amor se vive ou não.
Ciúmes é um sentimento inútil.
Não torna ninguém fiel a você.
Animais são anjos disfarçados, mandados
à terra por Deus para mostrar ao homem
O que é fidelidade.
Crianças aprendem com aquilo que você faz,
não com o que você diz.
As pessoas que falam dos outros pra você,
vão falar de você para os outros.
Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.
Água é um santo remédio.
Deus inventou o choro para o homem não explodir.
Ausência de regras, é uma regra que depende do bom senso.
Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.
A criatividade caminha junto com a falta de grana.
Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.
Amigos de verdade nunca te abandonam.
O carinho é a melhor arma contra o ódio.
As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.
Há poesia em toda a criação divina,
Deus é o maior poeta de todos os
Tempos.
A música é a sobremesa da vida.
Acreditar, não faz de ninguém um tolo
Tolo é quem mente.
Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças
A cerca de suas ações.
Obrigada, desculpa, por favor,
são palavras mágicas, chaves que abrem
Portas para uma vida melhor
O amor… Ah, o amor…
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos, cura doenças…
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.

Nota: A autoria do texto tem vindo a ser atribuída erroneamente a Artur da Távola. O texto foi escrito em abril de 2006 por ocasião dos 40 anos de vida da sua autora.

say-yes-to-the-live-2121044__340

O que você tem buscado? Admiração ou realização?

Hoje, me deparei com uma frase de Virgínia Woolf que me trouxe inspiração para escrever esse texto: “Não precisa ter pressa. Não há necessidade de brilhar. Não precisa ser ninguém além de si mesmo”.

E nesse momento gostaria de fazer uma pergunta para você, meu leitor: “O que você tem buscado? Admiração ou realização?”

Dependendo da resposta, os caminhos são diferentes, os sentimentos também e os resultados também.

Quando se busca a admiração, as escolhas são baseadas no que os outros vão achar. Há um excesso de medo da crítica, as ações são guiadas para ter a aceitação, o número de “curtidas” nas redes sociais é o que conta; as vontades, os desejos ou os objetivos podem ser deixados de lado se há a percepção de não aceitação. E o quão real então a pessoa é realmente? Qual o sentimento que isso gera ao chegar em casa e deitar a cabeça no travesseiro? Como é se olhar no espelho e verificar que há um espaço muito grande entre a pessoa que gostaria de ser e a pessoa ou a personagem que se transformou?

Por que há tanta necessidade de “brilhar” para o mundo? Será que você percebe que esse brilho pode ser apagado pelas pessoas a qualquer momento ao transferirem a admiração delas para um novo “ser iluminado”? E a partir desse momento, o que sobrará?

Para aquele que busca a realização, há uma chama interna que por mais que alguns tentem apagar, ela sempre estará protegida porque já se sabe que a escolha feita enfrentará resistências, opiniões contrárias, tentativas de fazer com que a autoconfiança seja minada, porém entende que o mais importante é ser a pessoa que deseja ser, alcançar os objetivos pessoais mesmo que o “mundo” não os considere como algo relevante.

Essa “chama” não brilha externamente, mas aquece a alma, dá uma sensação de conquista, de felicidade mesmo que não tenha com quem dividir. O olhar no espelho dá uma sentimento de orgulho, de olhar para trás e perceber que mesmo com tantos obstáculos e talvez com olheiras de cansaço, rugas do tempo, permaneceu firme em seu propósito. Isso tudo se traduz em uma força para novos desafios e conquistas.

Assista à série do Netflix chamada Black Mirror, especificamente ao episódio Nosedive no qual as pessoas são avaliadas e recebem “estrelas”… Quanto mais popular, mais estrelas… Imagine o que as pessoas fazem para serem bem avaliadas… #nospoiler

Imagine o seu futuro… como você gostaria que fosse? Quais serão suas escolhas a partir de agora?

 

“Ser importante é do ego. Ser feliz é da alma.” (Anônimo)